segunda-feira, 19 de setembro de 2016

I Congresso Baiano de Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente

O evento será voltado para profissionais de saúde, gestores de Serviços de Saúde, profissionais que atuam na gestão dos Serviços de Saúde e estudantes de graduação e pós-graduação das áreas de Saúde.



Temas que serão abordados: Três Anos do Programa Nacional de Segurança do Paciente: avanços, retrocessos e desafio; A Experiência do Paciente; Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente: uma abordagem multiprofissional; Percepção do Risco em Saúde e Gestão de Riscos Assistenciais; Cultura Justa: implicações para a segurança do paciente; Judicialização da Saúde e Comunicação Efetiva para a Qualidade e Segurança do Paciente.


Mais informações aqui 

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

2º Colóquio Trabalho & Educação na Saúde

A proposta do Colóquio é propiciar um espaço de debate sobre as contribuições de distintas áreas ao estudo das relações trabalho, saúde e educação, construindo perspectivas interdisciplinares de análise e produção na área.

Nesse sentido, propomos o estabelecimento de seções de diálogo entre conferencistas com “expertise” em diversas áreas da educação e o conjunto de pesquisadores e docentes que vem se dedicando ao trabalho nesta interface, com o intuito de produzir questionamentos e instigar a produção de novos olhares e, por conseguinte, novas práticas na interface saúde-trabalho-educação. 

Vagas limitadas. Clique aqui e inscreva-se! Veja a nossa programação.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

I Simpósio Multiprofissional Segurança do Paciente: um desafio nosso


Segurança do paciente: um desafio nosso” é um projeto de extensão idealizado em setembro/2014 pela docente Edenise Silva Batalha do Departamento de Ciências da Vida da Universidade do Estado da Bahia (Campus 1 - Salvador).

O projeto se justifica como um espaço de discussão sobre a temática segurança do paciente pautado no entendimento de que criar e recriar espaços de aprendizagem, seja na graduação alcançando os discentes, seja na vida profissional alcançando profissionais já atuantes é algo fundamental para solidificação das boas práticas em saúde.

O projeto desenvolve eventos/ações educativas sobre segurança do paciente. Se você é estudante, profissional de saúde ou áreas afins sinta-se convidado a participar!


Auditório do DCV I - UNEB, Campus I - Salvador, BA
 Mais informações aqui

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Universidade Federal de Minas Gerais oferece vagas em cursos gratuitos na área da saúde


A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), oferece por meio do NESCON (Núcleo de Educação em Saúde Coletiva),  9.500 vagas divididas em sete cursos on-line e gratuitos para área de saúde. As aulas abordam as áreas de atenção domiciliar e tecnologias assistivas.

Os cursos são destinados para profissionais e gestores de saúde que possuem registro no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde). Demais interessados também podem participar, mas devem fazer inscrição como visitante e não tem direito ao certificado.

As inscrições  podem ser feitas até o dia 25 de outubro de 2016. Após iniciar os estudos, o aluno tem até o dia 30 de novembro de 2016 para finalizar o curso. Os alunos que tiverem direito ao certificado vão recebê-lo em até três dias úteis depois da conclusão do curso, no e-mail pessoal cadastrado.


Mais informações, clique aqui 

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Abertas as inscrições para a sessão pôster do II Simpósio de História da Enfermagem



Profissionais, estudantes e pesquisadores já podem inscrever os seus trabalhos para a segunda edição do simpósio de história da enfermagem promovido pelo MuNEAN, entre os dias 01 a 30 de setembro de 2016.
Poderão participar enfermeiros e alunos de graduação em enfermagem. Os trabalhos de alunos, somente serão aceitos sob a orientação de um docente. É permitido a qualquer autor inscrever no máximo dois pôsteres. Cada trabalho deverá ter no máximo três autores, já incluído o autor principal. 
As áreas de concentração dos trabalhos são:
  1. Enfermagem ao longo da história;
  2. Historia dos cursos, das entidades de classe e de personagens;
  3. Identidade profissional;
  4. Questões de gênero;
  5. Recursos para a pesquisa em História da Enfermagem;
  6. Ensino da História da Enfermagem.
O regulamento completo para o envio dos trabalhos pode ser conferido no endereço: http://munean.blogspot.com.br/

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Novo guideline para admissão na UTI - SCCM 2016

"ICU admission, discharge, and triage guidelines: a framework to enhance clinical operations, development of institutional policies, and further research". Crit Care Med Agosto, 2016.

O guideline, que saiu originalmente em 1999, é diretriz para rotinas de internação e alta da UTI. Desta vez, as recomendações foram orientadas pelo método GRADE para elencar e pesar evidências de cada assunto. Alguns destaques são:

- Os níveis de prioridade de admissão na UTI mudaram: iam de 1 a 4, sendo que 1 era maior prioridade, e 4 sem prioridade (dividido em paciente muito bem - 4A, e paciente moribundo - 4B). Agora passa a ser 1 a 5: 1 e 2 são de maior prioridade, sendo que 2 para pacientes com alguma limitação terapêutica; 3 e 4 para monitoração, também 4 para pacientes com limites de terapia; e 5 para pacientes moribundos ou terminais. UTI é recomendada para níveis 1 e 2, enquanto semi-intensiva ou unidades de cuidados intermediários para níveis 3 e 4. Veja figura abaixo:



- "Overtriage", isto é, um pouco mais de indicação de internação na UTI é preferível a cercear todos os pacientes com indicação questionável. Ou seja, é bom deixar o filtro um pouco mais "frouxo". Grau 2D de recomendação.

- UTIs especializadas são melhores que UTIs gerais em algumas situações; as recomendações se resumem a neuro-UTI: o prognóstico de pacientes com AVE hemorrágico e trauma craniano grave pode ser melhor nestas UTIs. Grau 2C.

- Não internar diagósticos fora da especialidade da UTI especializada. Ou seja, por exemplo, pneumonia grave em UTI cardiológica ou pós-operatório de cardíaca em neuro-UTI ("não misturar alhos com bugalhos"). Grau 2C.

- Não demorar mais de 6 horas para internar um paciente grave (que precisa de intervenção aguda) a partir da emergência na UTI. Grau 2D.

- Evitar dar alta da UTI à noite (após 7 pm). Vários estudos observacionais indicam maior mortalidade. Grau 2C.

- Pacientes com alto risco de reinternação ou morte (várias comorbidades, continuidade de suporte para disfunção orgânica ou instabilidade fisiológica) devem ir para unidade semi-intensiva tipo "step-down". Grau 2C.

Post copiado do blog http://artigoscomentados.blogspot.com.br/

I Simpósio de Terapia Intensiva do Interior da Bahia



segunda-feira, 8 de agosto de 2016